A Mulher no mercado de trabalho

Atualizado: 12 de Out de 2018

Estudos do IBGE mostram que as mulheres ganham 75% do salário dos homens, mesmo comprovando que as mulheres possuem melhor escolaridade do que o homens.


artigo matercoach - abril 2018

E se olharmos para a ocupação de posições gerenciais, tanto em setores privados como públicos, 62,2% dos homens ocupavam cargos gerenciais contra 37,8% das mulheres em 2016.


Se esta diferença já é gritante entre mulheres e homens como seria se houvesse um estudo sobre as profissionais mulheres que estão gestantes e as que possuem filhos pequenos?


E fácil imaginar que muitas ficariam na “geladeira” da empresa, não sendo elegíveis a promoções e até mesmo a avaliações pelos resultados que entregaram.


Pelo simples fato de estarem grávidas, muitas perdem a igualdade na avaliação de desempenho, processo de curva forçada, critério de elegibilidade ao bônus, promoção, entre outras ações de reconhecimento.


A verdade é que o universo corporativo possui metas agressivas e nenhum tempo pode ser desperdiçado enquanto uma mãe precisa acompanhar seu filho ao médico. Uma vez que inevitavelmente ficará doente, várias vezes pelo contato com outras crianças em escolinhas e creches enquanto a mãe trabalha.


O que ocorre é que esta mulher profissional que pode ser um talento, cedo ou tarde sentirá a falta deste reconhecimento e irá para outra empresa. Uma empresa mais estruturada, com programas voltados para a diversidade, com respeito a atuação das mulheres profissionais, com espaço estruturado para amamentação, berçários, etc.

Empresas que já estão preparadas culturalmente para mulheres trabalharem.


Com este cenário, só existem dois caminhos para as empresas: ou estruturam programas voltados para a mulher ou perderão seus melhores talentos para a concorrência que já está estruturada.


Assim surgiu matercoach, para apoiar as empresas a estruturarem programas com impacto na cultura organizacional ou ajudar você, profissional mulher que é gestante ou mãe.


Artigo matercoach, escrito por Vanessa Apontes Zani.

14 visualizações